12802986_10205502155689618_8012280521418211149_n
Internet

“Fulanas DiCaprio”, por Samanta Vicentini

Anos 90, auge da adolescência. Quando Titanic estava prestes a estrear, a Jéssica (uma amiga) e eu meio que competíamos para ver quem tinha mais revistas sobre o nosso ídolo.

Como tinha uma tia que trabalhava no cinema, Jéssica assistiu ao filme primeiro, em outra cidade, e eu fiquei morrendo de inveja – não vem ao caso agora, mas só para que ela saiba, quase vinte anos depois.

Por assistir antes, Jéssica me ensinou o que era spoiler, contando o final do filme, que eu viria a saber também na fila do próprio cinema, quando um menino passou gritando que o Jack morria no final.

Porém, munida de expectativa, fui conferir meu ~marido~ nas telonas pela primeira vez, no finado cinema de Ribeirão Pires (SP).

Já amava Leo por Diário de um Adolescente, Gilbert Grape e Romeu e Julieta, que alugava repetidamente em VHS

Começa o filme. Tem a velhinha. Tem a expedição. Tem essa galera toda e ela começa a contar a história, aparece esse frame da imagem abaixo. O cinema de Ribeirão Pires, pequeno como a cidade, veio abaixo. Dezenas de adolescentes apaixonadas suspiraram, em coro: “Ahh… Meu marido!”. Éramos todas “fulanas DiCaprio”.

12802986_10205502155689618_8012280521418211149_n

Leitoras assíduas das revistas teens como Atrevida, Capricho e Querida, nós sabíamos tudo sobre Leo: escorpiniano, filho de pais separados, o apego gigantesco com a mãe. Acompanhávamos de perto todos os seus passos.

O tempo passou, muita coisa mudou, o marido de verdade veio e nada do talento do Leo ser oficialmente reconhecido pela Academia. Vai ano, vem ano, vai indicação, vem indicação e nada. Mas teve ontem. E ontem eu fiquei acordada esperando a Julianne Moore dizer o nome dele. E ela disse.

A “Samanta DiCaprio”, lá dos anos 90, que nem imaginava que o ~marido~ chegaria tão longe, vibrou feliz por esse prêmio.

Meu ~marido~ ganhou um Oscar. Finalmente! ❤

 

10406493_10201937772062255_2444197166846812441_n

Samanta VicentiniPaulista com um pezinho na casa dos 30, por amor trocou a cidade cinza pela maravilhosa e fez até amizade com o verão.

Deixe um comentário

O artigo escrito por:

Publicitário, blogger, youtuber e uma graça.